propósito ticket log e repom

Quando surge o Propósito

16 de novembro de 2018 por Estúdio Nômade em Mobilidade
Voltar 1

Existem diferentes caminhos que uma organização pode adotar para o desenvolvimento do seu propósito. Todos devem ser legítimos e buscar uma única intenção: vontade maior de unidade e transformação. O propósito é algo particular e único, que essencialmente sustenta um motivo para existir. É algo que inspira, é emocionalmente contagiante e tem uma intenção genuína de transformação. Ou seja, busca contribuir ativamente em algum contexto maior, o que o torna grandioso e, inclusive, mais prático do que se imagina.

Como tudo começou

Nós da Estúdio Nômade, assumimos o desafio em ajudar a Ticket Log e a Repom, que constitui a Divisão de Frota e Soluções de Mobilidade da Edenred Brasil, na elaboração do seu propósito, como uma só. No início do processo, não havia clareza alguma sobre o tema. Começamos a construção, como todo projeto de inovação que conduzimos orientado pelo strategic design, através de uma escuta ativa e sensível. A primeira intenção foi elaborar uma reflexão crítica sobre conceitos essenciais para o negócio das empresas: sustentabilidade, mobilidade, inovação e criatividade. Esses quatro pilares de marca, deram origem ao processo de elaboração do Propósito Fleet & Mobility. Mas como um propósito não se inventa e não é imposto pela liderança, ele emergiu naturalmente dos colaboradores da Ticket Log e da Repom, como uma necessidade de discutir sobre algo maior do que os conceitos que estavam postos em debate. A dúvida sobre qual seria o Propósito que representava as duas empresas, reorientou a forma de condução do projeto.

propósito ticket log

 

Toda a construção se deu junto com o coletivo. Foram diversas conversas envolvendo colaboradores, clientes, rede credenciada (postos de combustível), caminhoneiros, entidades de interesse e fornecedores. Foi um processo aberto tecido através de múltiplas relações, envolvendo uma partilha de expectativas. Em um contexto de mercado, onde as pessoas parecem cada vez mais desgastadas das relações vazias que são submetidas e pautadas exclusivamente por interesses financeiros, o convite para integrar um propósito conquistou rapidamente espaço de atenção e carinho.

Curioso? Então veja como ficou este propósito transformador:

A escolha de redesenhar a estratégia de uma empresa orientada por um Propósito é um caminho sem volta e não há receita de bolo para garantir a sustentação de um propósito. São as pessoas (todos os colaboradores das empresas) que devem mobilizar-se em função do que acreditam. Será através delas que a mudança se consolida e a coerência do Propósito é vista nas práticas do negócio, nas soluções com o mercado e na operação do dia a dia, inspirando os rumos da mobilidade do país, valorizando incansavelmente o tempo das pessoas para aproveitarem mais e melhor a vida e entregando inteligência para otimizar a gestão da mobilidade urbana e rodoviária do Brasil.


Aron Krause Litvin é Sócio-Diretor na Estúdio Nômade. Administrador, Mestre em Design Estratégico (Unisinos) e Pós-Graduado em Ciências do Consumo (ESPM), pesquisa o significado e os efeitos da colaboração nas organizações e nos laboratórios de inovação, e atua como professor das cadeiras Empreendedorismo e Inovação e Cultura e Consumo no Pós-Graduação de Administração de Empresas pela Universidade Ritter dos Reis.

É um dos coordenadores e idealizadores do primeiro laboratório cidadão de inovação social para a cidade de Porto Alegre (TransLab). Palestrante no TEDxPorto Alegre 2016 com o talk “O que a colaboração pode fazer por nós”. Foi integrante convidado do grupo Global Shapers, vinculado ao Fórum Econômico Mundial, tendo representado o país no Vatican Meeting 2014. Ganhador do prêmio Funarte 2010 de Reflexão e Produção Crítica para Internet com o projeto Exorcismos Urbanos.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Marco Ramos disse:

    Parabens pela iniciativa. Pessoas também é o combustível de nossa gestão na WM. Podemos atingir o auge do melhor processo, melhor sistema, mas se não tiver um TIME que faz a diferença, de nada adianta.